Agenda
Vocacional
  • 11.10

    Discernir I São Paulo
  • 25.10

    Discernir I Fortaleza
Confira quando a imagem e relíquia de São Camilo passará em sua cidade:
 
   
  • 31.08 Congresso Brasileiro de Humanização e Pastoral da Saúde
  • 09.09 Mocca
  • 11.09 Jaçana
  • 12.09 Vila Mariana
  • 16.09 Encontro internacional de gestores Camilianos
  • 23.09 Salto – SP
  • 24.09 Itu – SP
  • 26.09 Taubaté – SP
  • 28.09 Taubaté – SP
  • 30.09 Campos do Jordão – SP
  • 02.10 Cachoeiro – ES
  • 14.10 Venécia – ES
  • 16.10 Aimorés – MG
  • 18.10 Resplendor – MG
  • 21.10 Timóteo – MG
  • 23.10 Mariana – MG
  • 25.10 Itabirito – MG
  • 26.10 Belo Horizonte – MG
  • 30.10 Formosa – GO
  • 01.11 Brasília-DF
  • 20.11 Rio de Janeiro-RJ
  • 07.12 Jornada Camiliana
  • 08.12 Encerramento do ano vocacional
Veja por onde a Imagem Peregrina já passou:
   
Ver todas as fotos
 
   
  • A obediência é a porta de entrada da vida religiosa
  • Que ninguém pretenda entrar no céu sem a recomendação dos doentes e dos pobres
  • Esta vida nos foi dada para encher de boas obras nossas malas de viagem
  • Cada um considere o pobre como a pessoa de Cristo e esteja pronto a servi-lo com afeto de mãe
  • Os doentes nos revelam o rosto de Deus

SÃO CAMILO
DE LELLIS

{ saiba mais no site dos Camilianos }

São Camilo de Lellis nasceu em Buquiânico, Itália, em 25 de maio de 1550. Filho de pai militar e de mãe muito devota, o nascimento de Camilo foi considerado um milagre, tendo em vista que seus pais ainda não tinham herdeiro e tiveram um filho já em idade avançada. Ambos faleceram quando Camilo era ainda jovem, levando-o a enfrentar a vida sozinho e a assumir responsabilidades prematuramente.
Ano Vocacional Camilianos
ICONE ANO VOCACIONAL
SÃO CAMILO SALVA OS DOENTES DA INUNDAÇÃO DO TIBRE EM 1598

Mediante o anúncio da Palavra de Deus e dos Sacramentos da Graça, a Igreja cumpre sua missão de levar os homens a Cristo Salvador. Numa perspectiva contemporânea, sobretudo após o Concílio Vaticano II, a Igreja empenha-se em pensar numa pastoral da cultura, conduzindo os fiéis a encontrarem Deus, a partir do belo. Nesse sentido, a Igreja nos apresenta a Via pulchritudinis, o Caminho da Beleza. Esse caminho conduz à fé, devido à sua capacidade de unir os corações para a contemplação do belo, o qual exprime de alguma forma o mistério de Deus e do homem, apresentando-se como uma ponte, um instrumento que liga os homens, ajudando-os a encontrar a beleza do Evangelho a partir de uma simples experiência de encontro com o belo, que suscita estupor, surpresa, admiração e sobretudo encanto.

Quando contemplamos uma obra de arte, somos conduzidos a experimentar o transcendente, a algo que a ultrapassa. Podemos dizer que a obra de Pierre Subleyras, São Camilo salva os doentes da inundação do Tibre em 1598, nos traz exatamente esse sentimento: ela nos conduz a contemplarmos um homem à frente de seu tempo, sobretudo em relação ao cuidado e ao amor que doava àqueles que atendia. Ao contrário do que muitos dizem, os santos não são homens do passado, mas sim do futuro, eles apontam para o eterno, para o Absoluto.

A famosa pintura de Pierre Subleyras (artista francês nascido em 25 de Novembro de 1699 e falecido em 28 de Maio de 1749) retrata São Camilo salvando os doentes do Hospital Santo Espírito, durante a inundação do rio Tibre, em 24 de dezembro de 1598. Conta-se que essa foi uma das maiores inundações já registradas em Roma. Camilo passou a noite toda salvando os doentes e carregou muitos deles sobre seus ombros, sem se preocupar que a água lhe chegasse até os joelhos. A obra, inspirada nesse episódio de grande manifestação de carinho e de cuidado que Camilo tinha para com os doentes, foi pintada em 1746, especialmente para a ocasião da canonização deste, e foi conservada em Roma, no Palácio Braschi.

A bela pintura de Subleyras foi a inspiração para a obra do escultor mineiro Carlos Calsavara, na qual São Camilo carrega nos ombros um doente. Podemos dizer que essa imagem exprime de forma grandiosa o santo que queria “ter mil braços para a caridade”, ela nos leva ao cerne da espiritualidade camiliana. Camilo, sempre inflamado pelo fogo da caridade, cuidava dos enfermos como uma mãe amorosa cuidava de seu único filho, como se não tivesse outra preocupação no mundo. A obra de Calsavara nos mostra a largueza de coração de um homem que não media esforços para fazer o bem e que não tinha medidas para o amor. Essas belas imagens nos inspiram a seguirmos a escola da Caridade fundada por São Camilo, obra do próprio Cristo e sustentada por Ele.

É interessante percebermos a importância de imagens como a retratada por Subleyras não somente como uma celebração do apostolado de São Camilo, numa dimensão figurativa, mas também como exemplo daquele que, por amor, se entrega totalmente ao próximo, vendo nele o próprio Cristo chagado. Nesse sentido, o compromisso vocacional camiliano, sempre atento ao cuidado com os doentes, encontra em imagens como a descrita um lugar importante, tanto por sua grande eficácia evocativa quanto pela grandiosidade do ensinamento que traz.
Ver mais
Ano Vocacional Camilianos
CAMINHO VOCACIONAL
O chamado para a vida religiosa e sacerdotal é um dom divino. Deus nos chama e nos convida para darmos o nosso “sim”. A vocação exige que vivamos o nosso batismo na radicalidade, amando a Deus e ao próximo com todo o nosso ser. Somos chamados por Deus no cotidiano da vida, a exemplo dos discípulos: “Disse-lhes Jesus: Vinde em meu seguimento e eu farei de vós pescadores de homens. E imediatamente, deixando as redes, eles o seguiram” (Mc 1,17-18). Assim, o despertar para a vida religiosa se dá no contato com as realidades que nos interpelam, seja no cuidado de um doente, seja por meio da participação na vida eclesial.

A resposta vocacional, no contexto atual, tem sido um grande desafio, pois requer uma adesão pessoal a Jesus Cristo e ao seu Reino. Para aqueles que buscam a vida religiosa camiliana, é necessária uma aproximação com o carisma da misericórdia e o espírito de São Camilo, que é voltado para a assistência aos doentes na totalidade do seu ser, “como uma mãe cuida de seu único filho enfermo” (São Camilo de Lellis).
As etapas da
formação são:
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
 
   
1
Período de animação e acompanhamento vocacional
Tempo de discernimento do chamado - É um período de acompanhamento ao jovem que manifesta seu interesse de fazer parte da Congregação, que visa possibilitar aos candidatos à vida religiosa camiliana um maior discernimento do seu chamado inicial.

1 ano antes do ingresso no Seminário Camiliano - Tal acompanhamento é desenvolvido pelo Serviço de Animação Vocacional Camiliano (SAV) e tem duração, no mínimo, de um ano, a partir de conversas, visita às famílias do jovem, promoção de encontros vocacionais nas casas de formação camilianas, etc..
Ano Vocacional Camilianos
OS CAMILIANOS
Durante a Idade Média registraram-se muitas fundações carismáticas religiosas de grande importância, tendo como objetivo principal a defesa e a cura da vida humana como ‘imagem e semelhança do Criador’ (Gn. 1,26). Essas fundações tinham também como grande preocupação salvar as almas. A Ordem fundada por Camilo de Lellis faz parte das fundações humanitárias e de Caridade Evangélica da Idade Moderna.

Fala-se da vigília da festa da Assunção de Nossa Senhora, do ano 1582, quando o jovem de 32 anos passados fundou a ‘companhia’ de homens de boa-vontade. Esses, junto com ele, deveriam dedicar-se à cura dos enfermos única e exclusivamente por Amor de Deus. O início do projeto de Camilo foi muito simples, mas em pouco tempo a história registrou uma significativa presença da prática da caridade sem limites. Passados mais de 420 anos desde a época de Camilo, homens e mulheres testemunharam com a vida a plena dedicação a serviço dos irmãos mais necessitados entre os necessitados, isto é, os enfermos.